CORRENTE PULSADA NA PRÁTICA

     

- Anodização do alumínio:

Na anodização do alumínio podemos destacar melhor distribuição de corrente, o que resulta em menor tempo de processo e uniformidade da camada, que permite a repetitividade nos processos de coloração.

A melhoria da distribuição da camada aliada à construção eficiente resulta numa economia final de 35 no consumo de energia com redução de 20 no tempo.

 

A CORRENTE PULSADA E OS ADITIVOS
ORGÂNICOS

 

OS aditivos orgânicos em excesso, ou acima do especificado, provocam redução na eficiência do pulso.

 

É comum processos que operam em corrente contínua operarem com excesso de aditivos sem apresentar problemas e, quando estes mesmos processos são operados
em corrente pulsada, apresentam sintomas de excesso de aditivo ou baixa eficiência.

 

Nestes casos a manobra é simples, basta desligar o pulso e trabalhar em corrente contínua, de forma a consumir o excesso de aditivo. Quando o nível de aditivo normalizar, basta ligar o pulso e observar a reposição do aditivo.

 

Observe que o uso da corrente pulsada, utiliza menos
matéria-prima, portanto menor será o consumo dos aditivos. É necessário reajustar a adição de aditivos de modo a manter a concentração, para se obter um resultado positivo constante.

 

CONCLUSÃO

A corrente pulsada está disponível e acessível a todos os processos.

A qualidade da deposição pulsada resulta em peças de melhor aparência, mais baratas e que atendem as normas com facilidade, praticamente eliminando as rejeições.

Quanto maior for o índice do "throwing-power" oferecido pelo retificador, melhor será a opção de investimento.

Outro fator importante no cálculo de investimento é a vida útil do retificador. Os gabinetes plásticos herméticos protegem contra a corrosão prolongando a vida útil do retificador com baixo custo de manutenção.

O tempo de amortização do investimento para aplicações em níquel é de 3 meses, trabalhando 24 horas por dia.

Existem retificadores de corrente pulsada com diferentes tecnologias e rendimentos e, diante de tantas informações que abrangem várias matérias, fica difícil 'para os usuários e compradores escolherem a marca de maior rendimento. A solução é avaliar cada fornecedor e comparar os resultados. Como este procedimento é longo e oneroso, aí vão algumas recomendações para encurtar este caminho:

 

- Verifique o histórico do fabricante consultando seus antigos clientes e redes sociais.

- Quem tem um bom retificador de corrente pulsada não troca e não vende, portanto a existência de unidades usadas à venda é um sinal de alerta.

- Verifique o grau de tecnologia aplicado ao retificador. Quanto mais tecnologia, maior a capacidade e confiabilidade do fabricante.

- Adquira um retificador para avaliação.

- Verifique o atendimento técnico pós-venda.

A demanda por produtos melhores, mais bonitos e baratos faz dos retificadores de corrente pulsada não uma opção, mas uma necessidade, já que se revelaram serem os mais econômicos, duplicam a capacidade produtiva das linhas, são ecológicos, preservando o meio ambiente e promovem a conservação de energia.

 

Fonte:                                                      
Tratamento de Superfície 191 - 2015

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

      
              

APLICAÇÕES

Não há restrição ao uso da corrente pulsada, a qual é usada em todos os processos de eletrodeposição e anodização.

Também não há limite de capacidades, pois atualmente são fabricados retificadores de corrente pulsada com capacidades de até 100.000 amperes que atendem todas as necessidades, e ainda podem ser ligados em paralelo ou em série.

Aplica-se a todo tipo de peças como fechaduras e ferragens, metais sanitários, joias e bijuterias, peças automotivas, hastes hidráulicas, plásticos, aramados, móveis
e peças técnicas para aviação e eletrônica, tanto em linhas manuais como automáticas, em gancheiras ou tambor rotativo.

Também podemos citar os perfis de alumínio anodizados, utilizados na construção civil.

As vantagens são melhor distribuição de camada que implica em redução no tempo de processo, redução no consumo da matéria-prima e energia, e o refinamento do grão que melhora a qualidade metalúrgica da camada.

 

- Níquel:

Utilizado em todos os processos de níquel brilhante, semibrilhante, watts e também em níquel químico para acelerar o processo.

As vantagens são: melhor distribuição da camada, o que implica em redução no consumo da matéria-prima como anodos, sais, ácidos e aditivos e, redução proporcional do tempo. A redução no consumo de matéria-prima é superior a 50% quando comparado a um retificador de corrente continua.

A melhoria na distribuição aliada à eficiência elétrica do retificador proporciona redução superior a 75% no consumo da energia elétrica.

Outras vantagens são: melhor aderência, ductilidade, maior resistência à corrosão e abrasão com mais brilho.
A deposição pulsada é seletiva, o que implica em não depositar contaminantes metálicos que comprometem
o brilho e a resistência à corrosão.

A seletividade determina a proporção constante da liga em processos de níquel colorido, mantendo a repetitividade da coloração.

 

- Cobre:

Utilizado em processos de cobre ácido ou alcalino com. melhoria na distribuição de camada, 35% de economia de matéria-prima, tempo de processo reduzido na mesma proporção e economia de energia de 70%.

Os processos de cobre-liga como bronze e latão são beneficiados pelo fato da corrente pulsada, manter a proporção da liga, mantendo a repetitividade da coloração,
mesmo com o processo desbalanceado.

 

- Cromo decorativo hexavalente:

Destaca-se por apresentar melhor distribuição de camada eliminando o amarelo e não deposita a contaminação metálica.

Outro efeito interessante é que a corrente pulsada eleva de 17% para 40% a eficiência elétrica da deposição, depositando uma camada 2,3 vezes mais espessa com o mesmo tempo, resultando em ótima aparência e aumentando significativamente a resistência à abrasão e corrosão.

 

- Cromo decorativo trivalente:

As principais vantagens são a distribuição de camada, com melhor aparência, aumento da resistência à corrosão (cerca de duas vezes) e aumento da resistência à abrasão.

Devido à sensibilidade do cromo trivalente em relação aos contaminantes metálicos, a deposição seletiva inerente da corrente pulsada proporciona um resultado final com coloração mais nítida, mantendo a repetitividade do processo por longos períodos.

Com relação aos acabamentos coloridos, a repetitividade da cor é mantida por causa da deposição seletiva.

 

- Cromo duro:

A aplicação em cromo duro resulta numa distribuição de camada melhor, reduzindo o tempo de usinagem.
Também observam-se melhor aderência e significativo aumento na dureza.

Outro recurso interessante é que se pode controlar a formação das microfissuras ou até mesmo a sua eliminação, reduzindo o tempo de polimento em ferramentas de prensagem de vidros.

O resultado final são peças com durabilidade maior.

 

- Metais preciosos:

A eletrodeposição pulsada de metais preciosos é caracterizada pela melhoria na distribuição da camada e consequente redução no consumo da matéria-prima, aumento na dureza da camada com aumento da resistência à abrasão. Excelentes resultados em processos de ouro-liga, principalmente na coloração e brilho com rápido retorno do investimento.

 

- Zinco e zinco liga:

Alguns processos de zinco apresentam distribuição de camada perfeita ("throwing power" de 100%), o que dispensa o uso da corrente pulsada mas, nos casos de zinco liga, a corrente pulsada se torna indispensável para manter a proporção da liga. A utilização de pulso duplo é recomendada neste caso.

 

            
                

  

 
 

WG Indústria e Comércio de Equipamentos Elétricos Ltda - Rua Costa Nunes, 196 - Campo Grande - RJ - CEP 23045-290
Telefones:(21) 2413-9127 / 2413-9123 / 3394-0136

Limeira / SP : (19)99748-0797 - (21) 99984-7333 / (21) 96755-2610
E-Mail: wg@wgretificadores.com.br